Domingo, 09 de dezembro de 2018
  • Leitura
    A A
  • Imprimir
  • Indique nosso site

Lixões

Os lixões constituem uma das formas mais primitivas para destinação final do lixo.

Desde a formação dos primeiros núcleos urbanos, algumas áreas próximas às cidades são destinadas à recepção do lixo nelas produzido, sendo os mesmos dispostos sem qualquer tipo de controle. Em muitas cidades do Brasil o destino dado para o seu lixo ainda continua sendo este.

Os inconvenientes e os riscos dos lixões não são poucos. Imensas áreas a céu aberto recebem, diariamente, toneladas de lixo de toda espécie sem, qualquer tratamento ou seleção prévia, tornando-se com isto, verdadeiros focos de problemas de toda ordem.

Famílias de baixa renda que vivem da catação do lixo passam a conviver com animais transmissores de doenças e com o ambiente infectado dos lixões.

Algumas aves também encontram nestes locais sua fonte de sustento, como no caso dos urubus.

Caso estes estejam localizados perto de aeroportos, os lixões, ao atraírem aquelas aves, representam um grande risco para a segurança dos aviões, chegando mesmo a provocar graves acidentes.

Outra importante questão associada aos lixões é a degradação do solo onde estes são instalados e o risco de contaminação dos lençóis freáticos pelos efluentes produzidos. Em condições inadequadas, a absorção destes efluentes pelo solo possibilita a contaminação de riachos, rios e lagos. Por estas razões os lixões representam uma forma extremamente inadequada de destinação do lixo urbano, tornando-se imprescindível à adoção dos aterros sanitários como destinação final dos resíduos sólidos.